domingo, 19 de setembro de 2010

Do esquerdalho-freira



Aposto que isto é liberdade de expressão, que não se ferem susceptibilidades nem é ofensivo.







24 comentários:

Anónimo disse...

Abaixo a p"e"dralhada.ratnew

Anónimo disse...

tão manipulado é um lado como é o outro....

Streetwarrior disse...

Olha olha...Cada um escolhe o seu lado, já que é humanamente impossivel ser neutro.

Este Post parece mesmo indicado ao que estou a escrever...Os Protocolos dos <sabios de Sião, é sempre bom saber o que nos espera.

Nuno

Anónimo disse...

"já que é humanamente impossivel ser neutro."

quem disse, e a razão não conta

Carmo da Rosa disse...

Mesmo com todos os seus defeitos, actualmente a Igreja Católica aceita desportivamente a crítica - não corremos o risco que nos cortem o pescoço ou anos de prisão.

Em sinal de agradecimento devíamos autorizar que o Cristo, mesmo naqueles preparos, seja colocado em todas as salas de aula do país. Ah, já me esquecia, e ir à missa e comungar pelo menos uma vez por ano…

um gajo disse...

Pois e de joelhos se faz favor. actualize-se.

um gajo disse...

E eu que não sou catolico não sou filho do meu deus, não tenho direíto a pendura-lo, ora ora. se também mantenho as escolas com os meus impostos e não vivemos na idade media

Streetwarrior disse...

"" Mesmo com todos os seus defeitos, actualmente a Igreja Católica aceita desportivamente a crítica ""

Epa Carmo, eu acho-lhe uma graça do caraças...

Você, debita a Cartilha como 1 bom catequista (já sei que é ateu ) ao pessoal que a Igreja católica não tem o seu lado fundamentalista, tem sim...Debaixo de certas condicionantes,também sabem ser fundamentalistas e não preciso de numerar exemplos,você sabe-os bem.

...e depois como se isso não chega-se,quer que todos olhem, para a religião estigmatizada pelo sr Bush e pelos Judeus que estão por detrás disto tudo que todos os Muçulmanos, são maus, comem criancinhas ao pequeno almoço e andam por aí a explodir-se a torto e a direito.

Olhe,pare de ler jornais e ver Televisão que isso anda a afecta-lo um bocadinho...Antes do 9/11 não havia este estigma pelo Islão....mas eu sei bem qual é o seu interesse(leia-se o de estigmatizar um grupo ).

Explique-me lá uma coisa Mr. sectarista...porque razão os Muçulmanos não andam a lapidar/apedrejar/maltratar outros fieis nos outros países onde praticam o Islão?

Fundamentalistas há-os em todos os lados....até nos sectaristas.

Nuno

RioD'oiro disse...

Streetwarrior:

"Debaixo de certas condicionantes,também sabem ser fundamentalistas"

Pois podem. Veja que insistem em não aceitar a ordenação de mulheres. Que coisa mais fundamentalista pode haver?

Os muçulmanos têm outra perspectiva mais aberta: cortam o pescoço a quem tiver tal ideia.

... fora isso, tudo bem.

Anónimo disse...

“Debaixo de certas condicionantes,também sabem ser fundamentalistas”

Ora ora só agora é que descobriu, fundamentalistas sempre foram, então não estão sempre a atacar as religiões ou uma religião por estar associada ao estado e fazer politica com cobrtura do estado, mas depois vai-se a ver e não percebem nada de laicismo liberdade religiosa de culto e separação do que é da igreja e estado. O estado não tem religião, as pessoas é que tem religião e crenças, mas quando essas pessoas chegam ao estado não podem usar essas crenças e religião para conceder privilégios aos seus apaniguados porque o estado tem que tratar os cidadãos por igual neste campo.

A sociedade ocidental e o estado foi-se libertando da igreja e da sua influencia lentamente mais cedo no norte da europa que no sul,onde os paises sempre foram mais atrasados e rurais e a influencia era grande, mas criou-se um regime em que os assuntos de deus são de deus e os de cesar de cesar,se houve influencia da igreja no passado na historia para ser o que somos isso é passado foi é verdade, a seguir a queda do imperio romano do ocidente como unica estrutura organizada viu-se com a criança nos braços e pediu o apoio para a criar aos reis francos, mas os gregos também tinham sido e os romanos e depois? vale como uma parte da historia e não um regresso ao passado, que teve guerras religiosas pelo meio. A minha sociedade não é religiosa e só obedece a lei, ha pessoas que não sabem viver numa sociedade plural e laica, e aprender a respeitar posições diferentes. Foram criadas no totalitarismo.

Anónimo disse...

Se a influencia da igreja ainda existisse podiamos ainda viver situações como antes do 25 abril, não havia divorcio, não havia aborto, não havia casamentos homosexuais, unico caso em que a meu ver tem razão,mas muitos ainda não se conformaram com a laicidade do estado, e que o poder religioso se restringe e acaba nas portas da fé. O rebanho mudou, as ovelhas são mais informadas e instruidas, e ja contestam e não obedecem fielmente ao pastor, por isso esta emancipação em muitos custa a aceitar. A sociedade civil ja não liga muito a palavreado morto e mesmo os católicos também não, a não ser uma minoria que é fiel ao pastoreio e as suas ordens. Desde o divorcio, uniões de facto, casamentos homosexuais, aborto e preservativos por muito que preguem, isto são comportamentos e como tal ja não podem ser impostos. No passado sim, podiam ser impostos pois o peso eclesiastico na vida das pessoas e na sociedade obrigava as pessoas a comportamentos padronizados sob pena de proscrição social e terem que mudar de lugar para poder viver ou refazer a vida. Basta ver que por exemplo não havia registos civis mas paroquiais os documenos eram paroquiais, só com o advento da república se criou a laicização e o estado passou a disciplinar a vida das pessoas, mas vicios que duram séculos não mudam pelo menos facilmente.

Por isso é que vale mais que vão lavar o cão, a pessoas que tem sempre que fazer o trabalho de casa

Carmo da Rosa disse...

anonimo1,

Eh pá, muito sinceramente e sem animosidade, releia por favor o que escreveu e diga-me se percebeu alguma coisa!

Streetwarrior disse: ” Epa Carmo, eu acho-lhe uma graça do caraças...”

É precisamente a intenção...

Nuno, eu não disse que a Igreja Católica não tem um lado fundamentalista, disse sim que: já aceita desportivamente a crítica e não corremos o risco que nos cortem o pescoço ou anos de prisão. Repare que estou a falar da Igreja Católica, e não na religião do Bush, nem da dos judeus, nem na religião da paz. Não é que não queira falar, mas prefiro fazer uma coisa de cada vez para evitar confusões, amálgamas e perdas de tempo.

Dei-lhe há dias um bom exemplo com dois livros do nosso melhor escritor de todos os tempos, Eça de Queirós, publicados no século 19. No século 20 um escritor não tão bom como o anterior, José Saramago, muito crítico em relação à religião dos católicos e muito pouco em relação à dele, também publicou livros contra a Igreja e morreu de velho.

Se os exemplos literários não lhe dizem grande coisa, então um filme como exemplo: The Life of Brian, dos The Monty Python Fliying Circus. A estreia em Londres foi, muito provocadoramente (não tenho nada em contra!), na noite de Natal de 1979. Apenas meia-dúzia de velhas beatas com posters protestavam pacificamente à porta do cinema contra a analogia (segundo elas blasfémica) demonstrada pelo filme entre Brian e Cristo.

Nos países em que a religião de estado é o marxismo-leninismo, ou a religião da paz, estes exemplos críticos que lhe estou a dar pura e simplesmente não são possíveis. Nos países marxistas os escritores críticos ou vivem no exílio ou estão presos. Nos países da religião da paz nem sequer alguém sonha fazer um filme do género (The Life of Brian) com a vida de Maomé, porque os cineastas sabem muito bem que nem fugindo para o estrangeiro têm a vida segura.

Se isto não lhe diz nada, é porque ainda está formatado por ideias obtusas que se obtêm frequentando demasiadamente a Festa do Avante, e que consiste em dizer que a LIBERDADE DE EXPRESSÃO é uma coisa burguesa…

Streetwarrior disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Streetwarrior disse...

Carmo,eu concordo absolutamente com tudo o que disse,não por querer mostrar que não sou Obtuso, porque o sou mas porque realmente partilho e compreendo tudo o que mencionou.

Talvez eu também tenha deixado uma ideia que pode...ter sido mal exemplificada.

O que eu quis com a minha cantoria toda dizer,foi que, de todas as religiões,a Igreja Católica"agora "é a menos fundamentalista mas que,quando querem e os deixam,são tão fundamentalistas como os outros,apenas tal como disse, "mordem pela calada ".
Continua a não concordar dito desta forma?

Nuno

Anónimo disse...

Facil,so ignorantes não entendem mas eu vou explicar –lhe novamente. Eu posso ter o meu deus, que pode ser diferente do catolico. Se pago impostos para sustentar escolas e edificios públicos tenho o direito a lá pendura-lo, ao lado do católico, e outras pessoas pela mesma razão em relação ao seu deus, mas ha uns tempos atrás não podia. Entendeu ou precisa de mais dicas.

Anónimo disse...

"Nos países em que a religião de estado é o marxismo-leninismo, ou a religião da paz"

ah ah ah. o homem fale em estados laicos e estados ateus e teocraticos. tão simples.

Streetwarrior disse...

Anónimo das 1528 disse.

"" Facil,so ignorantes não entendem...""

Eu sou exactmente dessa opinião, exctamente para não haver lugar a fundamentalismos.

É por causa deste tipo de atitudes é que os fundamentalistas têm espaço, com a merda de conversa do " meu deus é melhor que o teu "

Seja mais ou menos fundamentalista, não há lugar para simbologia religiosa nos locais que pertencem a todos, sejam do estado ou não.

Isto para mim, quem não entender isto...é fundamentalista, não há outra leitura.

Nuno

Carmo da Rosa disse...

Streetwarrior: ” Continua a não concordar dito desta forma?”

Agora concordo plenamente. E vou mais longe, não estou tão certo que, mesmo agora, a Igreja Católica seja a menos fundamentalista. Depende com quem a comparamos.

Mas quando querem e os deixam! Isto que disse é muito importante.

Em primeiro lugar é preciso ter em conta que a Igreja Católica não é uma unidade perfeita, não é uma pessoa, há lutas internas e opiniões diferentes no seu seio.

E a tarefa da democracia, para conseguir sobreviver, é não deixar que as forças fundamentalistas da Igreja ganhem terreno. Ou, em caso que não haja outra solução, apoiar mesmo forças fundamentalistas para que estas anulem outras ainda mais fundamentalistas. A luta pela democracia é a luta pela escolha do mal menor. Não há verdades absolutas...

Além disso tenha sempre em mente que a democracia não caiu do céu, muita gentinha antes de si foi morta e levou nos cornos para nós podermos dizer hoje aquilo que pensamos sem medo (há ainda gente com medo, mas não têm razão para isso, sobretudo tendo em conta o que dizem!). Mas teremos que continuar a lutar – we can’t take anything for GRANTED… (não estou para procurar como se diz isto em português – o vinho era pesado).

anónimo das 15:28 ” so ignorantes não entendem mas eu vou explicar–lhe novamente.”

Creio que já percebi. E como você tem uma forma tão simpática e polida de explicar, digo-lhe que acho a sua ideia genial: todos os deuses dependurados na parede da sala de aula. Porque não?

Streetwarrior disse...

""todos os deuses dependurados na parede da sala de aula. Porque não? ""

Se for de cabeça para baixo, para mim, nada a opor.
LOL

Nuno

Anónimo disse...

"Todos os deuses dependurados na parede da sala de aula. Porque não?"

Porque sim homem porque sim, esta a ver como você percebe a laicidade e a iguadade de todos os cidadãos e é democratico, porque sim. Todas as religiõezinhas representadas lado a lado com a benção do estado.

Só um idiota não percebe o que é o laicismo e que pretende evitar isto mesmo.

Anónimo disse...

"Seja mais ou menos fundamentalista, não há lugar para simbologia religiosa nos locais que pertencem a todos, sejam do estado ou não.

Isto para mim, quem não entender isto...é fundamentalista, não há outra leitura."

Pois é isso mesmo. Mas ha quem anda aqui a colocar posts contra religiões por estarem misturadas com o estado e depois ache que nos ca no ocidente em locais publicos, temos que dar benesses também a uma. contradizendo tudo no fundo e de certo modo equiparando-nos a eles.

Carmo da Rosa disse...

Nuno: ”Se for de cabeça para baixo…”

Não, de cabeça para baixo só os Deuses Indianos, porque geralmente têm uma porrada de cabeças – senão é blasfémia…

Em todo o caso, o Maomé dependurado bem direitinho com a bomba nos cornos….

anónimo das 11:57: ”Todas as religiõezinhas representadas lado a lado com a benção do estado.”

Esta é a melhor maneira das religiões perderem representatividade: tanto faz Ganesh, como Cristo, como Ram, como The Big Fliyng Spaghetti Monster…

Anónimo, mesmo quando se tem razão, não é preciso insultar e começar os comentários com: “só um idiota”!!!!

Anónimo disse...

porque voce do percebe ao fim de tres comentarios e não percebeu de todo

anónimo das 11:57: ”Todas as religiõezinhas representadas lado a lado com a benção do estado.”

"Esta é a melhor maneira das religiões perderem representatividade: tanto faz Ganesh, como Cristo, como Ram, como The Big Fliyng Spaghetti Monster…"

mas invente

Anónimo disse...

Deus lhes perdoe, pois não sabem o que dizem... São como barcos à deriva.