terça-feira, 14 de setembro de 2010

Spirit continua silencioso



Há neste momento dois rovers idênticos em Marte: Spirit, no hemisfério Norte, e Oportunity no hemisfério Sul.

Oportunity está de relativamente boa saúde mas Spirit não está.

Spirit começou por ter uma roda gripada e passou a andar de marcha-atrás arrastando essa roda. Andou assim, aliás, muito tempo e percorreu uma distância considerável.

A certa altura atascou-se em poeira ou areia extremamente fina e nem para a frente nem para trás. Inúmeras simulações foram em terra feitas e quando começaram as manobras para o libertar gripou uma segunda roda que também ficou presa. Restam-lhe rodas 4 funcionais mas as duas avariadas e bloqueadas deixam poucas possibilidades que as 4 funcionais consigam movimentar o rover.

Aproximou-se entretanto o solstício de inverno sem que fosse possível colocar o rover numa posição que permitisse captar o máximo de energia solar (inclinado para sul). Bastante bloqueados por poeira, os painéis solares deixaram de conseguir captar energia suficiente para manter a electrónica aquecida. A carga das baterias baixou demasiado e o rover entrou em hibernação.

Em hibernação se encontra há meses havendo a esperança que com o aproximar do solstício de verão as baterias voltem a carregar o suficiente para que os circuitos de comunicação possam entrar em funcionamento. Quanto mais tempo decorrer até que o rover acorde (se acordar) mais são as probabilidades de ele se voltar a fechar em copas logo após o solstício de verão, tanto mais que é provável que os painéis solares estejam agora ainda mais sujos.

Sem energia para aquecer os circuitos estes arrefecem diariamente até 50 graus negativos, bastante mais que a temperatura mínima especificada quando os circuitos eram novos. Esta temperatura, aplicada diariamente (repetidamente) é bem capaz de inutilizar irremediavelmente os vetustos circuitos.

Caso uma rabanada de vento sacuda os painéis solares e tudo o resto corra bem (muito bem mesmo), pode ser que Spirit acorde, mas as hipóteses dele despertar são cada vez mais remotas.

2 comentários:

Anónimo disse...

Mais uma peça em tom menor de demagogia burralhosa debitada de acordo com o cânone burralhoso.

Porque não perguntas aos judeus o que pensam sobre o apoio massivo das maiorias a medidas contra minorias? E deves até começar pelos judeus franceses, são um bom testemunho da 'democracia' contra os que não têm poder nem voz.

O burralho bate palmas a tudo o que é pisar quem já está estendido. Desalmados, à letra. E parece que alguns até se consideram cristãos.
Pobre Cristo, com embaixadores destes, precisas é de detractores ...

RioD'oiro disse...

... um marciano.