quinta-feira, 23 de setembro de 2010

UMA CIRCULAR RACISTA! Será?



Tradução de uma entrevista na Tv. francesa (RTL) com o jornalista Eric Zemmour sobre o tema dos ciganos romanicheis (roma) vindos da Roménia e da Bulgária. (Para quem perceber francês vale a pena seguir na internet (Youtube) debates com Eric Zemmour – um intelectual com uns tomatões de Paris até Carcavelos).

RTL: A França não está vocacionada para acolher todos os ciganos roma, diz-nos o ministro, e diz também que não podemos acolher a miséria do mundo inteiro. Estas declarações resumem o debate em França mas também em toda a Europa.

Eric, você afirmou que tudo isto já estava escrito (previsto).

Eric Zemmour: Já se sabia que isto iria acontecer: em Bruxelas, em Paris, em Roma, em Berlim e mesmo em Bucareste. Se a Roménia e a Bulgária são os últimos países a integrar a UE, isto deve-se em grande parte aos ciganos roma. Não só. Também ao atraso económico e a corrupção dos seus dirigentes políticos. Mas os 9 milhões de paupérrimos romas que nunca foram escolarizados na Roménia, apavoram os dirigentes europeus. Têm medo de um tsunami de crianças adestradas para roubar e mendigar juntamente com uma prostituição em massa de jovens raparigas. Não foram decepcionados…

E no entanto os tratados da UE prevêem uma limitação da livre-circulação para combater a criminalidade. Se estas redes mafiosas que estão por detrás deste tráfico de crianças não são consideradas criminalidade, então não sei o que possa ser?

Durante as negociações para a adesão da Roménia foram previstas clausulas que permitem afirmar hoje com razão que os acampamentos dos ciganos romas são ilegais e que isto é conforme a lei francesa e da União Europeia. Mas estas medidas, para desmantelar os acampamentos (dos romas), não vão ser suficientes. Os recambiados romas vão aceitar de boa vontade os 300 euros por pessoa distribuídos pela República e pelo contribuinte francês e depois vão voltar.

O princípio de livre-circulação na Europa serve-lhes de viático e de protecção. E é por isso que as autoridades italianas querem ir mais longe e reivindicam a expulsão de cidadãos que fazem parte da comunidade europeia mas que não respeitam as leis do país onde residem ou que constituem um fardo para a segurança social.

Há uns meses atrás Berlusconi recebeu uma reprimenda papal por causa da suas medidas contra os romas em particular e os estrangeiros em geral. Mas a França, devido às suas infra-estruturas sociais e escolares é especialmente atraente, porque conjuga harmoniosamente generosidade e laxismo.

RTL: Qual é a opinião de Bucareste sobre este assunto?

Acerca deste assunto o governo Romeno lava as suas mãos, depois de as ter untado. Porque vai receber de Bruxelas entre 2007 e 2013 vinte biliões de euros de ajuda, mas ainda não teve nem tempo nem meios para os utilizar a favor dos romas. Mas já aproveitou esta crise para exigir um pouco mais a Bruxelas, e repreendeu o governo francês para que faça uma política de integração destas populações: exige na realidade o que a Roménia nunca fez.

Há uns meses atrás já a formiga alemã foi obrigada a abrir os cordões à bolsa para salvar a cigarra grega. Hoje, a escola da Republica Francesa é requisitada para escolarizar as crianças romenas. A Europa, temos que admitir, é uma coisa fantástica, mas já não sabemos muito bem se é um sonho ou um pesadelo…

9 comentários:

Anónimo disse...

Não, que ideia

Pelo decreto, Sarkozy determinou a expulsão e na circular Iok101788MJ, baixada para a efectivação do decreto, ficou estabelecido, como primeira acção da gendarmeria, a destruição, em três meses, de 300 acampamentos, “com prioridade aos dos ciganos”.



Percebe-se, pela circular, a componente racista: “ prioridade aos ciganos”.um decreto que em vez de ser lei geral e abstracta, traz fotografia. A circular é assinada pelos ministros Eric Besson e Pierre.
“com prioridade aos dos ciganos”. e depois havera mais a seguir a prioridade.

o tratado da união proibe expulsoes colectivas de grupo e etnicas, a responsabilidade é individual no caso de transgressões.

Volta não volta estão sempre a cair na merda

o holandês voador disse...

CdR,
Quando, em 1986, Portugal aderiu à CEE, os portugueses (e os espanhóis) não puderam, durante os primeiros 7 anos, estabelecer-se no espaço europeu, a menos que cumprissem determinadas condições prévias: contrato de trabalho, reunificação familiar, estudo, ou provassem ter meios de subsistência.
Não se compreende que a França não tenha estabelecido o mesmo período transitório para romenos e bulgaros e venha agora defender a expulsão de um grupo étnico especifico, argumentando que são TODOS criminosos. Trata-se, obviamente, de um "double standard" (moral dupla), pois uns são bem recebidos e outros não. Em que é que ficamos?
Foram os europeus que criaram o espaço Schengen ("forte Europa") para evitar, entre outras coisas, a criminalidade e a livre circulação de pessoas indesejáveis. Nessa altura, o alvo eram os africanos que atravessavam o estreito de Gibraltar através do Magreb e que procuraravam chegar à Europa. Agora, que a migração vem de um país membro, aqui del'rei que vem aí os ciganos! Os ciganos estão na Europa há 1000 anos e vão ficar outros tantos. O que é que querem? Mantê-los em "reservas" como os índios?
Não deixa de ser curioso, que são personagens como Sarkozy (um hungaro de segunda geração) e portugueses "nacionalizados", que parecem mais incomodados com os "estrangeiros" (segundo o principio, eu já cá estou, os outros que se amanhem!) esquecendo-se que, quando chegaram à "Europa", andaram de chapéu na mão a pedir batatinhas aos franceses e aos holandeses...
O "desconhecido" sempre amedrontou os pobres de espírito.
Os ciganos, como os muçulmanos, ou os negros num passado recente, são sempre quem está mais à mão de semear. Em tempo de crise social (veja-se o que está, hoje, a passar-se em França) há que encontrar um "bode expiatório" para as crises governamentais.
Dito isto, deve dizer-se que a Roménia (como a Bulgária) é, provavelmente, o país que mais discrimina os ciganos. Daí, que a observação do jornalista francês, faça algum sentido.
Moral da história: os ciganos, porque são um povo nómada e desregrado (segundo os nossos cãnones) não têm lobbies, não estão representados a nível político e são, por isso, o elo mais fraco da cadeia. É fácil estigmatizá-los. Só por isso políticos fracos e populistas como Sarkozy e Berlusconi, tomam estas medidas. Não perceber isto e papaguear "slogans" racistas e xenófobos não contribui para a discussão. Se os líderes europeus não querem os ciganos na Europa, assumam-no e não se refugiem em proclamações de liberdade, igualdade e fraternidade como fazem os franceses.
Sim, a circular é racista (o texto fala por si) e, por isso, suscitou as reacções que suscitou. Ainda bem.

Anónimo disse...

Vocês meus caros sem querer, fazem do diversionismo argumentos e insistem em colocar o acessório como principal. Se o governo sarkozy queria demolir acampamentos ilegais só tinha que dizer que iria e continuaria a demolir “acampamentos ilegais sem considerar ou independentemente de quem os ocupa, entende, sem considerar as pessoas em concreto, sem por fotografias nas leis, mas presuntivamente todos os que se encontrem em acampamentos ilegais, era um primeiro passo.

Mas o que o documento fez foi lançar polemica sobre uma etnia , a polémica levantada pelo documento está na origem de mais um embaraço para o governo francês, pois oficializou o conceito de minorias que não existia na lei francesa e coloca os responsáveis políticos da maioria a ter que tentar rejeitar ou justificar a introdução desse conceito. Mas eu julgo que vocês não entendem nada disto. O ministro da Imigração, ja veio alegar que não conhece a circular em causa,e acrescenta que "o conceito de minorias étnicas é um conceito que não existe entre nós". O ministro do Interior, já veio anunciar que iria emitir uma segunda circular com vista a esclarecer qualquer mal-entendido "sobre uma eventual estigmatização dos ciganos" existente.

A França ja esta tentando fazer tudo para remediar as coisas e sair desta sem grandes beliscaduras mais ou menos airosamente para todos.

Vão se catar todos.

Anónimo disse...

"Não peças a quem pediu, não sirvas a quem serviu".

O que impressiona mais nem é o posicionamento político, os pró-nazis andam em festa. É a insensibilidade de quem já pediu. Seguem sempre o mesmo padrão, com honrosas excepções.

Carmo da Rosa disse...

Como de costume, não se responde aos argumentos do jornalista Eric Zemmour nem se aborda sequer os problemas! Os comentários perdem-se em grandes princípios, emoções, exaltações, sugestões, moralismo e muito fado…

Estes últimos comentários resumem-se a dizer que não existe problema absolutamente nenhum em relação à vinda e presença de ciganos romenos em França. Tudo se passa às mil maravilhas, e quem não vê a coisa assim é RACISTA!

Os ciganos, como fazem parte de uma minoria, o resto já não interessa: são imediatamente promovidos por estes gutmensch a infinitamente bons e as autoridades, que têm que fazer respeitar a lei, são, por oposição, os maus!!!

Como se trata apenas de emoções, sem qualquer tipo de racionalidade, esta visão das coisas mudaria 180º caso o Sarkozy fosse o secretário-geral de Partido Comunista Francês no poder. Nesse caso o governo francês teria posto os ciganos a andar sem cerimónia – sem 300 euros e viagens de avião de graça - e na Festa do Avante ninguém mais falaria no assunto. E porquê?

Porque os ciganos normalmente não querem ser heróis do trabalho, não têm por hábito ser membros de sindicatos, muito menos de um partido, acreditam na virgem negra e não no secretário-geral e acham que as crianças não precisam de saber ler e escrever. Como fazer o homem novo com esta gente?

@ HV: ”Não se compreende que a França não tenha estabelecido o mesmo [portugueses e espanhóis] período transitório para romenos e bulgaros…”

Então porque razão é que julgas que a UE está a dar 20 biliões de euros (entre 2007 e 2013) à Roménia? Em troca das clausulas limitativas em relação aos romas…

Moral dupla?

Moral tripla, se isso resolver o problema. Os portugueses e espanhóis não criaram problemas de maior, apenas vieram para trabalhar e nunca foram um fardo para a segurança social. Parece que os romas por razões culturais insistem em não querer seguir este exemplo…

Creio que há nesta discussão um mal-entendido em relação ao conceito Estado Providência. Muita boa gente, por causa da palavra “providência”, atribui ao Estado poderes divinos e julga que o dinheiro cai do céu e, tal como o Sol que nos alumia, é praticamente inesgotável… O que significa, para estas almas infinitamente generosas com o dinheiro dos outros, que a Europa, e neste caso particular a França, pode, ad infinitum acolher a miséria do mundo inteiro sem qualquer limitação…

Mas não. É que a fonte que alimenta o Estado Providência não se parece nada com o Sol, mas mais com o petróleo, e se não consumirmos menos, ou se não arranjarmos energias alternativas ela seca… Tão simples como isto.

Anónimo disse...

Aqui para o Sr. Rosa umas boas doses de insecticida, ou outro qualquer gás, resolvia o problema, até o das muitas moscas chatas e anónimas que para aqui andamos. Tudo muito limpinho muito asseadinho, que nem a vaca tipo bruni. É giraça a gaja, ele é que é um camafeu, que nem sequer tem ar de franciú.

Anónimo disse...

Como de costume vai-se ao acessório e põe-se como principal,e faz-se um número de diversionismo e eu que julgava que a pergunta era: "é uma circular racista, será?" A conversa do jornalista em relação ao tema é 27 noves fora nada. É racista é, e é uma circular. Estes labregos.
Nem sabem tratar do cão.

Brasileiro disse...

Vamos por partes.

1. Foi uma bola fora do governo francês ter citado especificamente os ciganos no documento. É evidente que isso daria motivo para esse banzé todo.

2. Vi gente comparando esse epsódio besta com "nazismo". Quando o senso de proporções se perde, já não resta muita coisa dentro da caixola... É apenas mais uma querela comum sobre imigração, uma coisa que acontece em muitos países mundo, e que acaba se resolvendo com um pouco de conversa.

3. Décadas de "paraisoa socialistas" deixaram problemas que só se resolverão em décadas.

4. A idéia original do mercado comum, na Europa, era proporcionar mais crescimento econômico. Funcionou bem enquanto ficou nisso. Mudaram o plano original no meio do caminho, e quiseram criar os "Estados Unidos da Europa", uma idéia anti-democrática, como já se sabia. Agora, parece que a idéia está se mostrando impraticável. Diversos problemas graves estão surgindo no relacionamento econômico ebtre os estados membros, e isso não acabará. Surgirão sempre novos problemas, muitos serão graves.

5. O pior é que isso parece uma arapuca. Desfazer a União Europeia agora resultaria em uma crise econômica gravíssima para todos os países membros. E continuar pode ser uma abraço de afogados... Como se diz no Brasil "se correr o bicho pega, se ficar, o bicho come".

6. Há uma música interessante aqui no Brasil, que diz: "Eu falei que isso ia dar merda .... e deu".

RioD'oiro disse...

Brasileiro:

"O pior é que isso parece uma arapuca."

Por isso se afirma recorrentemente, neste blog, que a "união europeia" é um bicho em decadência.

Parece-me que os Alemães tomaram consciência disso e estão querer 'sacudir' o lastro.