quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Sócrates, o despovoador

1 comentário:

Nausícaa, São Paulo, Brasil disse...

Pelo exemplo de José Gonsalo, mando-lhes um aviso através do sepultamento do Jornal do Brasil, belamente relatado por Dora Kramer no tópico "último suspiro":

"Último suspiro. É consenso no meio jornalístico que jornais levam pelo menos uma década para morrer. Pois o Jornal do Brasil levou mais de três. De fato o JB não morreu ontem quando circulou sua última edição em papel.

Acabou mesmo em 2001, quando a marca foi arrendada por gente mais interessada em usar o jornal como plataforma de negócios.

Não podia dar certo. Se algum dia houve a ilusão de que o JB velho das melhores guerras poderia renascer, nunca houve empenho, propósito e competência para isso.

Daí não valer a pena agora a missa de corpo há muito ausente, esplêndido e insubstituível."

Em

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100901/not_imp603412,0.php